quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Moinhos de vento





Moinhos de vento,
Que ventos nos trazem?
Memórias alegres
De tempos vividos
De amigos que idos
Jamais partirão.
Memórias sabidas
Quem em farinhas finas
Moem e remoem.
Esforços suados
Em pães amassados
Vidas que alimentam
Pobres e abastados.

Moinhos de vento
Que ventos nos trazem?
Temíveis gigantes
Que a figura triste
Dum tal cavaleiro,
Corajoso Andante,
Quixote de nome
De livros,  amante
Anseia enfrentar.
Ama Dulcineia
Ama a terra inteira
Vivo na “loucura”
Morto no “sarar”.

Moinhos de vento
Que ventos nos trazem?
Em seus braços lindos
Sonhos de meninos
Campos verdes, flores
Correrias, abraços
Risos, estardalhaços
Amor, natureza.
Moinhos sadios
Circulares, vadios
Bebem dos riachos
Brincam com o vento.
Pintam horizontes
Enfeitam os montes
Despertam paixões
Morrem com os tempos
Vivem em lamentos
E nos corações.

Moinhos de vento
Que ventos não trazem?

2013.08.28



2 comentários:

Malu Silva disse...

Tão mágicos os moinhos... Lembrei-me de La Mancha!!!
Abraços

Aldora Amaral disse...

O Cavaleiro Andante e seu Sancho Pança!